Páginas

13 de dez de 2009

Meus Nerds Favoritos de Séries


Aqui estão os meus nerds favoritos de séries atualmente. Dois deles derivam da mesma série e todos são da mesma emissora, a CBS.
Penélope Garcia e Spencer Reid são os nerds da série Criminal Minds, minha série favorita atualmente (Farei uma maratona Criminal Minds nas minhas férias). A Abby é da série NCIS, porém devido um personagem masculino totalmente machista, do tipo, sou lindo/gostosão/mais inteligente do mundo, que é o Tony, eu simplesmente não consigo assistir.
Em Criminal Minds:
Penelope Garcia é da equipe de Áudio/Vídeo Técnico em BAU sede em Quantico, VA. Garcia freqüentemente responde ao telefone com comentários como "Este é o escritório de tudo saber, como posso ser útil?" Ela está em jogos online, especificamente MMPORGs. Verdadeira Nerd/Hacker que sabe como ninguém sobre computação. Ela já foi uma craker, porém o governo a recrutou para trabalhar contra o crime usando as suas habilidades.
Seu jeito de se vestir é totalmente exótico, mas adora rosa/pink.

Spencer Reid é um gênio que se formou em uma escola pública com a idade de doze anos e foi para a Cal Tech (com a sua escola de Yale de segurança) aos 13 anos de idade onde ganhou doutorado em Matemática, Química e Engenharia ao 21 anos de idade.
Além disso, ele mantém cursos de graduação em Psicologia e Sociologia e atualmente está trabalhando em outra licenciatura em Filosofia. Ele tem um QI de 187, uma memória eidética, e pode ler 20.000 palavras por minuto. No ensino médio sofreu grave bullying nas mãos de seus colegas. Em sua juventude, seu pai deixou ele e sua mãe, pois não foi capaz de lidar com a esquizofrenia paranóide da mãe de Reid, Diana. Reid cresceu aprendendo quase tudo o que sabe de livros, muitas vezes com sua mãe lendo para ele. Ainda assim, Reid sabia que o caminho que sua mãe estava vivendo não era saudável. Quando ele tinha dezoito anos, sua mãe tinha se internado em uma instituição para doentes mentais, Bennington Sanitarium. Reid também está preocupado com o fato de que a doença de sua mãe pode ser transmitida geneticamente, onde ele tem  medo de sua própria mente. Ele cresceu em Las Vegas, Nevada e é muito adepto de todos os jogos de cartas
Spencer Reid é o mais novo membro do BAUe já teve de atirar e matar dois Unsub durante sua atribuição para a BAU. Ele também foi mantido refém, drogado, e torturados pelas mãos de um Unsub com desordem de personalidade múltipla, o que gerou a sua, mas parece ter melhorado e ficado limpo.
Em NCIS:
Abby de NCIS é geralmente otimista. Ela dá e recebe regularmente abraços. Ela é viciada em "Caf-Pow", um refrigerante cheia de cafeína. Abby tem ética de trabalho forte. Ela acredita na justiça e é muitas vezes crítica de seu pior inimigo. Comunicativa, mas não gregária, Abby prefere trabalhar sozinha. Antropomorfiza seu equipamento de teste. O grupo de trabalho é sua "família".
Ela veste estilo gótico, ela tem tatuagens (especialmente a teia de aranha no pescoço), usa saias curtas (que certamente são cada vez mais curtos) e calças apertadas, botas de plataforma, e gosta de vermelho e preto e, claro, seu branco jaleco.
Abby é otimista, irreprimível, ela adora Gore, toca música muito alto, pode se comunicar na linguagem de sinais, defende seus amigos, amores e fala com seu equipamento, trata seus amigos como família, tigelas com freiras, e é a goth. Ela é a única que mantém a equipe e fechar os ama, ela é Gibb favorito e sempre será.
Ela usa palavras que a maioria dos outros personagens não entende.

Fonte dos resumos: Abby, Garcia/Reid

1 de dez de 2009

Comentários sobre o episódio 100 de Criminal Minds - CUIDADO SPOILERS


Conheci Criminal Minds quando assinei a TV a cabo, e no começo não me agradava muito, talvez por estarem reprisando episódios da 1ª e 2ª temporada, que foram temporadas em que o personagem Rossi não estava (Gosto do Joe). Depois via mais ou menos, mas somente fui me interessar mesmo pela série, no último episódio da 3ª temporada, quando houve a explosão e não sabia quem iria morrer, mas mesmo assim já torcia pela Garcia e pelo Morgan, ou seja, só de pensar em um dos dois mortos me dava nos nervos. Hotch nunca foi um dos meus favoritos. Achava ele muito sério, apesar de ter uma beleza (ou seria charme?) meio que escondida.
Nesta 4ª temporada que passa na AXN, eu acompanhei com mais afinco e por entrar na Comunidade Brasileira Principal da série no Orkut, fiquei sabendo do episódio 4X18 - Omnivore, em que o Unsub Foyet acaba preso, mas não fica preso. Assisti com toda a vontade do mundo e amei este episódio. Nos comentários na comú (que acompanha a série por USA) sabia que Foyet tinha envolvido mais ainda o Hotch e se tornado o caso questão de honra da equipe.
Pois bem, chega o centésimo episódio e para lavar a alma eles fazem O EPISÓDIO. Ele é simplesmente fantástico. Atuação perfeita de todo o elenco.
Quando Foyet deu o tiro no pé do Sam, sério, eu senti dor, quando arrancou o dedo do Sam, doeu em mim. E ele torturando Hotch via telefone, fazendo Hotch desabar no choro (e nós que assistimos tb) foi perfeito (Tomei um susto com "aquele" barulho tamém), Hotch orientando o filho para se proteger sem levantar suspeitas do Foyet também foi genial, mas o melhor foi o final, Hotch descarregando todo a sua raiva em Foyet por tudo o que ele fez para Hotch e se transformou em um montro. Esta frase diz tudo sobre a cena:
"Aquele que luta com monstros deve-se acautelar para não se tornar também um monstro. Quando se olha muito tempo para dentro de um abismo, o abismo olha para você". Thomas merece um Emmy pelo episódio, mas C. Thomas também, porque ele fez um serial killer que deixa o Hannibal no chinelo.
Vídeo promocional do episódio:

Fotos do episódio:

O choro que me fez chorar também.

 
 Hotch virando um monstro neste momento de dor suprema.

Nem CSI ou Law&Ordem chegaram perto da perfeição em um episódio como este chegou.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...