Páginas

11 de nov de 2010

Escola Jovem LGBT combate ou alimenta o preconceito?

No dia 09/11/2010 vi uma manchete no site do estadão que me chocou de duas formas (link da notícia aqui). Primeiro mostra que a homofobia continua muito forte no Brasil. Que infelizmente a homossexualidade ainda não é aceita pela sociedade e que a intolerância contra a comunidade gay, apesar de toda a luta, continua firme e forte.
Mas o que me deixou mais chocada foi a forma que uma escola está tentando combater a homofobia. Eu confesso que não sabia da existência desta escola até este dia. Bom, pra quem não sabe, a escola é uma escola especial, voltada para o público LGBT. A escola é exclusiva para o grupo.
Na minha modesta opinião a escola é um contra-senso com relação ao combate à homofobia e o preconceito. Lutamos contra o preconceito do homossexual pela sociedade. Lutamos para que o homossexual não seja vítima de violência, que o mesmo seja aceito em qualquer lugar, seja em um shopping, no ambiente de trabalho, em um hospital e junto com os heterossexuais dentro da sociedade, e não de forma excludente.
Pra mim soa estranho esta forma de combate. A escola estaria realmente combatendo a homofobia e o preconceito? Ou estaria acentuando o preconceito contra os homossexuais ao reuni-los em uma escola própria e que é de fácil localização pelos grupos radicais? Não estaria na realidade colocando em risco de violência estes mesmos alunos que a escola teoricamente tentaria proteger? Isto, em minha opinião é como dar combustível para os grupos no melhor estilo Ku Klux Klan.
Combater o preconceito contra o grupo LGBT não é excluí-los da sociedade criando uma sociedade própria e sim lutar para que os mesmo sejam inseridos dentro desta sociedade. Será que os titulares desta escola gostariam que fosse criada uma escola exclusiva para Heterossexuais? No mínimo achariam preconceituoso, passível até de crime por discriminação. Quando fiquei sabendo da criação da faculdade voltada para os afro-descendentes na época de sua criação também fui contra e não porque sou preconceituosa ou qualquer coisa do gênero até porque sou tataraneta de escravos, apesar de ser branca, mas tenho características físicas que comprovam a minha origem. Fui contra porque era uma forma simplista de se combater o preconceito racial. Devemos lutar para que os negros e descendentes tenham acesso à uma boa educação desde o início da vida, que não sejam excluídos da sociedade, que tenham as mesmas oportunidades que os brancos, amarelos, verdes.
Isto de se criar ou escolas ou faculdades especiais acaba sendo o contrário do que lutamos. A sociedade luta sempre contra a segregação seja racial ou sexual e abertura ou de escolas ou faculdades bate de frente com o que pregamos. Já imaginaram se todos os grupos que sofrem preconceitos fossem abrir escolas/faculdades próprias? Daqui a pouco corremos o risco de se abrir hospitais específicos para cada grupo (já imaginaram um hospital só para os Nordestinos? Faria a alegria das Mayaras Idiotas da Vida, ela teria a Faculdade livre para o grupo dela) e aí vamos nos sentir como os negros e outros grupos norte-americanos que eram proibidos de pegar ônibus junto com brancos, ou que não podiam frequentar determinados locais públicos. Temos é que promover a integração total de toda a sociedade, não a exclusão, e por isto sou contra esta escola que está combatendo de forma equivocada a homofobia.
Você leitor do meu blog: Qual a sua opinião a respeito da Escola Jovem LGBT? Ela combate o preconceito sendo exclusiva para o público LGBT? Ou indiretamente provoca o preconceito?

1 de nov de 2010

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...