Páginas

3 de abr de 2010

Unsub George Foyet de Criminal Minds: Comentário ao final do arco dramático

Sim, finalmente posso comentar sobre o melhor Serial Killer de Criminal Minds, talvez um dos melhores de séries e quem sabe do cinema no geral. Sim, é necessário comentar desde o início, porque comentar sobre as nuances de George Foyet não vale tão somente pelo último que passou {espero que seja realmente o último}. O episódio onde ele aparece primeiro em Criminal Minds e que teve um quê de Cold Case (caso reaberto) foi no episódio 4X18 - Omnivore.
O interessante é que ele, no começo, nos faz dar pena, em ver como ele sofre por ser o único sobrevivente de uma série de assassinatos ocorridos 10 anos antes por um Serial Killer não identificado que havia feito acordo com o chefe de polícia para que ele, o SK, parasse com os crimes. Como o policial estava em vias de morrer, era óbvio que os crimes voltariam. Aí entra o pessoal da BAU, visto que da primeira vez, Hotch tinha trabalhado no caso junto com o chefe. O jeito coitadinho de George Foyet engana a todos, até Hotch que no meio deste episódio é tentado a fazer o mesmo acordo e como não aceita,
o SK provoca um massacre como uma forma de tortura à Hotch. Hotch quase sucumbe, mas com o conselho amigo de Rossi, se recompõe e volta a caça. Somente no final, juntando com o perfil parcial feito pelo Hotch durante o período do acordo com o policial (Hotch não sabia do acordo) e com o complemento do perfil nos novos casos é que Hotch descobre que a vítima sobrevivente é na verdade o verdadeiro Serial Killer.
O Interessante é perceber o quanto Foyet é manipulador. Manipulou o antigo policial, manipulou o escritor que tinha feito um livro sobre os crimes, tentou manipular Hotch de forma mais direta, porém quando todos achavam que ele não iria mais manipular e dominar com a sua prisão, ele mostra  que todos estavam enganados. Desde o princípio ele maninupalva, mesmo no período de trégua, através de sua fuga espetacular. Foyet mostra que mesmo o mais terrível dos Serial Killers pode ser o mais inteligente e manipulador mesmo com a melhor equipe de polícia a combatê-lo. E que nunca devemos considerar um ser como ele derrotado. 
Mostrou isto de forma espetacular através de uma fuga que ninguém em sã consciência (pelo menos da equipe) ira imaginar que ele faria. Ou alguém aqui imaginaria que uma pessoa presa teria coragem de ser cortar ao ponto de ficar praticamente tomando o seu próprio sangue para simular um acidente grave provocado por convulsões violantas e ser levado ao hospital da prisão? Acho até que a equipe teve uma dica quando do ataque de Foyet à Morgan e ignorou. Eu não ficaria muito tranquila em ver o Foyet preso sabendo que ele, durante 10 anos, havia retirado o próprio sangue (quase o equivalente ao total que temos no corpo humano) para simular a sua própria morte. Era de se imaginar que ele estudaria todas as formas possíveis de fuga.
Já no episódio final da quarta temporada e no primeiro, ele deixa claro que é ele que está no comando, por mais preparada que seja a equipe do FBI. O que ele quer e sente um enormeeeeeee prazer é ver a tortura física e psicológica em Hotch e o sentimento impotência na equipe por mais bem preparada que ela seja.
Ele mostra que estudou inclusive o que a equipe faz, como eles traçam os perfils.   Isto fica evidente quando do ataque à Hotch no 1º episódio da 5ª temporada, ao dar as facadas milimétricas e que Foyet diz naquele momento que as facadas equivalem ao ato sexual em pessoas impotentes, ou seja, ele praticamente assume que está estuprando Hotch. E mesmo após o ataque, Foyet quer estar no comando da ação, e para isto usa a família de Hotch.
O final deste domínio se inicio ao final do episódio 99º e se encerra de forma trágica no derradeiro 100º episódio.
Foyet mostra que não devemos nunca subjulgar uma mente como a dele, que por mais que ele mostre que está derrotado, em sua cabeça ele nunca estará e sempre terá uma forma de mostrar o seu domínio e manipulação.
O episódio começa com a tortura e morte do policial federal encarregado da proteção da ex-esposa e filho de Hotch, pois Foyet desejava capturar os dois para mais uma forma de tortura, através da morte das duas pessoas mais importante para Hotch.
Interessante notar que antes mesmo de Foyet sequestrar de fato Harley, esposa de Hotch, ele já começa a sua tortura, através da tão famosa ligação ao policial. Só que ele também tortura toda a equipe, pois através de um integrante todos conseguem ouvir a ligação e se sentem impotentes e percebem que Foyet faz tudo o que quer para demontrar poder.
Quando Harley percebe que está nas mãos do pior SK que o seu ex já se envolveu é tarde demais para ela e para o próprio Hotch. Foyet está realmente no comando e mesmo que ele morra, Foyet será o campeão. E para Foyet, quanto mais longa a tortura física ou psicológica, melhor. E a maior prova que Foyet é o campeão desta caçada, é a mudança que ele provoca em Hotch, de um homem controlado para um homem que após a morte trágica da ex-esposa se desespera e toma atitudes que qualquer academia de treinamento policial condenaria.
Tranforma Hotch em um homem louco por vingança a ponto de quebrar os protocolos primários dos quais foi treinado, na qual mata um homem desarmado e que havia se rendido, ou seja, Foyet faz jus a frase que inicia o episódio final deste arco:
"Aquele que combate os monstros deve tomar cuidado para que ele mesmo não se torne um."

3 comentários:

  1. Foi o melhor final de temporada de todos os tempos, muita gente até acha que o final de Dexter foi uma copia. Quanto ao serial Killer, só consegui detestá-lo, como a nenhum outro, mas deve estar justamente ai o brilhantismo dele.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Realmente foi tenso.
    esse cara foi um dos melhores S.K da série!
    Karl Heinz

    ResponderExcluir
  3. A interpretação de c.Thomas Howell é brilhante

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...